Mulheres empreendedoras – você quer ser uma delas?

Empreendedorismo é a palavra da vez e tem atraído cada vez mais mulheres. As empreendedoras estão ganhando espaço como nunca na sociedade e elas têm muito a celebrar. A multiplicação de ecossistemas empreendedores tem sido cada vez mais frequente e as aspirações em entrar para esse meio também.

Uma pesquisa realizada pela empresa americana de consultoria Zenger Folkman indicou que, em média, as mulheres são gestoras mais respeitadas e formam equipes mais eficientes. Elas têm facilidade para avaliar de maneira clara o que é necessário para atingirem uma determinada meta e dominam com mais tranquilidade a comunicação e a cooperação dentro das organizações. Por esses motivos, tendem a ser boas líderes.

O processo de empoderamento feminino é vantajoso para o desenvolvimento empresarial. Um relatório da Dow Jones também apontou outro ponto importante: as empresas que têm mulheres em cargos de alta gerência têm mais chance de sucesso do que aquelas em que apenas homens ocupam esses espaços. Um outro levantamento, feito pela Kauffman Foundation ainda mostrou que empresas de tecnologia que são lideradas por mulheres têm um ROI (retorno sobre investimento) 35% maior.

 

Nichos para empreender

Um diferencial quando falamos de empreendedoras é que as mulheres sabem do que gostam e do que precisam. É muito mais fácil uma empresa que conhece o universo feminino criar empatia com as consumidoras do que uma empresa comandada por alguém que não tem ideia do que se passa na cabeça das mulheres. Tendo em vista que a maior parte dos gastos são controlados por elas (ou seja, são elas quem decidem o que e quando comprar), isso é uma vantagem e tanto no mercado!

Existem oportunidades nos mais diversos campos e as histórias inspiradoras estão por todos os lados. Para quem está pensando em abrir o próprio negócio, vale a pena pesquisar por experiências e conhecer os erros e acertos de outras empreendedoras para que possam traçar seu próprio caminho. Os exemplos são nas mais diversas áreas – da dona da brigaderia gourmet famosa à jornalista que decidiu abandonar a redação e se tornou assessora de imprensa de artistas.

Ao se deparar com essas personagens, vai ver que muitas tinham o mesmo medo que você pode estar vivenciando nesse momento. Algumas nunca tinham pensado em trabalhar por conta própria até a oportunidade surgir. E nesse caminho, tiveram de lidar com ansiedades e inseguranças, mas principalmente, que estudar muito e conhecer o mercado e o próprio negócio.

 

Como começar?

Você pode empreender até sem sair de casa, basta tomar algumas atitudes simples. O primeiro passo é definir o que quer fazer – listar o que você gosta e as áreas em que tem experiência ajudam muito a definir esse ponto importante. Depois é pensar na empreitada realmente como trabalho e definir o tempo disponível para aquela atividade: lembre-se de que você é sua própria chefe!

Com a colaboração da família e um espaço definido para o trabalho, o processo fica mais fácil. Consulte os órgãos públicos sobre os trâmites legais necessários para sua atividade. O Sebrae é um bom lugar para buscar ajuda e orientação, inclusive para desenvolver seu plano de negócios e as estratégias de marketing que vai usar.

Lembre-se de separar as finanças de seu negócio de suas contas pessoais e de reinvestir parte dos lucros. E não se engane pensando que trabalhar em casa é trabalhar menos (normalmente é o oposto!), mesmo porque a busca de novos clientes deve ser uma constante e operar tudo isso requer disciplina e atitude! Você pode decorar bolos, fazer comida congelada ou conservas, ser artesã ou até passear com cachorros!

E claro, pode exercer sua profissão habitual de casa, como as organizadoras de eventos, nutricionistas e produtoras de conteúdo, por exemplo. O importante é fazer o que ama, de forma regrada e buscar por novos conhecimentos, sempre!